Nação Crioula, José Eduardo Agualusa



Clicando no título da imagem (ou na própria imagem) podem ler algumas passagens do livro. Uma das cartas que se encontra disponível é a Carta a Madame de Jouarre, Luanda, Agosto de 1872 (pag. 33). 


ou aqui.


Butão: progresso medido pela felicidade

Falar com o computador no Chrome (Google)

Este é o caminho. Interfaces cada vez mais sofisticadas e cada vez mais simples para o utilizador.

Faz lembrar o computador Hal 9000, da saga "Odisseia no Espaço", de Arthur C. Clarke, imortalizada por Stanley Kubrick.

http://chrome.blogspot.com/2011/03/talking-to-your-computer-with-html5.html

Podem experimentar aqui: http://slides.html5rocks.com/#speech-input

O Google não escreveria este livro - Economia - PUBLICO.PT

O Google não escreveria este livro - Economia - PUBLICO.PT

http://www.googleartproject.com/

Depois de alguns problemas com o spam e muito trabalho, partilho a aplicação que hoje vi num telejornal. Fiquei curioso e vim ver... está absolutamente fantástico!


Demorei algum tempo a perceber como navegar, mas depois de descobrir a funcionalidade daquela estrela guia, achei fantástico. Cada ponta indica um quadro que podemos admirar e, depois, aparece um sinal + que nos mostra o quadro de uma forma que podemos explorar com mais pormenor.Há quadros que mostram a tinta partida com os anos... outros deixam perceber o movimento que os pincéis deixaram marcados na tela..."O Quarto" de van Gogh tem uma qualidade assustadora:

http://www.googleartproject.com/museums/vangogh/the-bedroom

A não perder: http://www.googleartproject.com/
L

Wolfram Alpha, um motor de conhecimento



Este motor de busca, que prefere ser considerado um "computational knowledge engine", gera resultados processando a informação da sua base de conhecimento interno ("internal knowledge base") e não pela procura e retorno de links existentes na Web. Apesar disso, o processo é rápido e eficaz. Foi criado por Stephen Wolfram. (Cf. Ken Neuhauser, courier-journal.com)

Fiz uma busca com a palavra "Portugal" e obtive como resposta dados como localização geográfica, bandeira, área do território, demografia, líguas (incluindo o mirandês), etnias, religiões, literacia, capital e cidades mais importantes, moeda, economia, inflação, desemprego...

A mesma busca no Google de, em 0,28 segundos, gerou 285.000.000 links.

Não quero dizer que um é melhor do que o outro, apenas considero que o desenvolvimento semântico está a melhorar, tornando as buscas mais práticas para quem procura conhecimento e podendo, por isso, servir de complemento dos motores de busca convencionais, mais aptos para quem gosta de "surfar".

LVila

Qualifications in UK

video

Boa onda!

Há sítios interessantes...

Cursor Miner - Library from Uncharted Audio on Vimeo.

Pensa antes de clicar!

Na semana em que se assinala o Dia da Internet Segura, foi revelado um estudo segundo o qual metade dos adolescentes europeus divulga informações pessoais na Web.

É importante saber que uma imagem íntima colocada online “é para sempre”. Como as fotos nunca saem da rede e bloqueá-las pode ser impossível, os efeitos podem prolongar-se por toda uma vida, quer para a vítima, quer para o ofensor - o que pode ser primeiro devassa da vida privada pode, nalguns casos, converter-se num verdadeiro crime de difusão de pornografia infantil.

Cristina Ponte, investigadora da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e coordenadora do EU Kids Online Portugal, disse à Renascença que o "ciberbullying" (violência psicológica continuada), a pornografia, o "sexting" e os encontros na vida real com pessoas conhecidas online são os principais riscos a que os jovens e crianças estão sujeitos.

A nível nacional, as principais ameaças que Portugal sofre estão relacionadas com o roubo de informação e com a destruição da disponibilidade de serviços, disse Francisco Rente, coordenador do projecto NONIUS, que desde Junho de 2008 testa a segurança da net.

A nível organizacional, as ameaças prendem-se com a obtenção de informação privada de empresas relativa à contabilidade e à propriedade intelectual. Quanto ao utilizador comum, o roubo está mais ligado à informação que permita o roubo de identidade, ou seja, aceder a um conjunto de informações que permitem fazer passar-se pela vítima perante outros. Por exemplo, nas redes sociais, no homebanking, em sistemas de e-mail e de e-government (como o portal das Finanças).

“Nos últimos anos, Portugal tem estado entre os primeiros dez lugares nos rankings relativos a máquinas comprometidas, pertencentes a botnets – redes de computadores comprometidos, espalhados por todo o mundo, utilizadas para executar ataques em larga escala ou para roubar informação”, revela o investigador da Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra e Instituto Pedro Nunes.


5 pequenos passos para uma segurança digital

1. Utilização consciente
Um utilizador de tecnologias deve ter consciência dos tipos de riscos e ameaças que corre se as usar de forma descuidada/errada.
Exemplos:
A)Não disponibilizar informação privada ou de carácter pessoal em locais de acesso público (redes sociais, web-sites públicos, web-fóruns...). Informação referente à identidade de uma pessoa pode ser utilizada para diversos fins ilícitos, como por exemplo a personificação (fazer-se passar pela pessoa; roubo de identidade).
Não utilizar passwords previsíveis e demasiado simples (datas de nascimentos, nomes de animais de estimação, sequências de números...). As passwords devem conter pelo menos 6 caracteres alfa-numéricos e símbolos.
C) Não devem ser aceites convites para redes sociais de origem desconhecida, ou pelo menos que não se consiga estabelecer uma relação mínima com a origem.
D) Não devem ser utilizados links directos, apresentados em emails ou mensagens, para aceitar convites de redes sociais, para visitar web-sites...

2. Manter software actualizado
É crucial manter todo o software instalado no computador actualizado,especialmente quando se trata de actualizações de segurança. Essas actualizações servem, na grande maioria das vezes, para corrigir vulnerabilidades de segurança.

3. Usar software de origem confiável
Independentemente de se tratar de software comercial, livre ou grátis, apenas se deve utilizar um de origem confiável. Um dos mecanismos mais utilizados pelos atacantes para difundir malware (vulgo vírus) é incluir software malicioso dentro de outro considerado fidedigno, levando assim as pessoas a instalar o software malicioso inconscientemente.

4. Usar software de protecção
Apesar de o software de protecção como firewall e anti-vírus não serem de forma alguma sinónimo de total segurança, não deixa de ser uma peça importante no “puzzle”. Este tipo de software oferece um conjunto de mecanismos de protecção que ajudam a manter a privacidade e confidencialidade.

5. Utilizar comunicações seguras
É necessário ter atenção aos meios de comunicação que se usa. Pois, as redes wireless públicas são, inevitavelmente, inseguras. A probabilidade de um computador de um cyber-café ou de uma biblioteca ter software de espionagem instalado é bastante mais elevada.


Nota: regras fornecidas pelo CERT-IPN, um núcleo CSIRT (Computer Security Incident Response Team), que está integrado no Laboratório de Informática e Sistemas do Instituto Pedro Nunes.


Sabe o que é?

Phishing é uma forma de fraude electrónica, caracterizada por tentativas de adquirir informações e dados pessoais , tais como senhas e números de cartão de crédito, ao fazer-se passar por uma pessoa confiável ou uma empresa, enviando uma comunicação electrónica oficial, como um correio ou uma mensagem instantânea. Na prática do Phishing surgem artimanhas cada vez mais sofisticadas para "pescar" (do inglês fish) as informações sigilosas.

Ciberbullying consiste no acto de uma criança ou adolescente, fazendo uso das novas tecnologias da informação, denegrir, ameaçar, humilhar ou executar outro qualquer acto mal intencionado dirigido a outra criança ou adolescente.

A palavra é composta por “cyber” relativo ao uso das novas tecnologias de comunicação (correio electrónico,telemóveis, etc.) e “bullying” relativo ao fenómeno dos maus-tratos por parte de um rufia (“bully”).

Sexting é uma forma de designar as mensagens de telemóvel com fotos eróticas ou sexuais trocadas entre dois utilizadores e que, de um momento para o outro, podem saltar para o domínio público através da sua publicação na Internet após um fim de namoro ou uma zanga de amigos.
Este fenómeno, que nasceu no Estados Unidos, resulta da junção de duas palavras sex (sexo) e texting (a troca de mensagem de texto pelo telefone ou vulgar SMS).

Botnets são redes de computadores comprometidos ou “sequestrados”, espalhados por todo o mundo, que um atacante ou um conjunto de atacantes consegue controlar e fazer com que sejam utilizadas para executar ataques em larga escala ou para roubar informação.



TPCs feitos no sistema do “corta, cola, imprime”

As crianças e jovens recorrem cada vez mais à Internet para fazerem os trabalhos escolares. No entanto, o objectivo é sobretudo plagiar, não fazer pesquisas, alerta a investigadora Cristina Ponte, coordenadora do EU Kids Online Portugal.

Muitos estudantes pensam que fazer uma pesquisa é "escrever o tema no Google, ver o que aparece", fazer a impressão e entregar na escola, desconhecendo muitas vezes que estão a fazer um plágio.

"Muitas crianças pensam que fazer pesquisa é ir à Internet. Está aqui, corta, cola, imprime e já está", disse, chamando a atenção para os "efeitos negativos na qualidade do conhecimento que se adquire".

A investigadora da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa considera que os pais devem intervir, perguntando aos filhos como estão a fazer o trabalho.

"Os pais portugueses vêem com muito entusiasmo o acesso dos filhos à Internet, porque consideram a Internet um meio de aprendizagem. Mas não têm ideia, até porque são pouco utilizadores, de tudo o que as crianças fazem na Internet", acrescentou a investigaora, afirmando também que os professores na escola "devem contrariar este método".
10-02-2010
in http://www.rr.pt/mobile/informacaodetalhe2.aspx?fid=102&did=91066

Beams collided at 7 TeV in the LHC



Mais informação em http://public.web.cern.ch/public/

e

http://www.publico.pt/Mundo/maior-acelerador-de-particulas-comecou-a-fazer-fisica-a-serio_1430140

the simpsons


Web site fantástico!!

Experimentem os avatares, são excelentes...

http://www.simpsonsmovie.com/main.html

Bocage



Para ler os sonetos, cliquem na imagem.
Tks!

Narciso


NARCISSE

Le moindre soupir

Que j'exhalerais

Me viandrait ravir

Ce que j'adorais

Sur l'eau bleau et blonde

Et cieux et fôrets

Et rose de l'onde.

Paul Valéry



Livro Digital

Pedro Paixão disponibiliza, no seu site o livro "A Cidade Depois":

http://www.pedropaixao.net/index2.html

É por aqui!

Thinking Digitally

http://www.learningplace.com.au/deliver/content.asp?pid=38762


Social Networking: Learning Theory in Action

http://campustechnology.com/articles/2008/05/social-networking-learning-theory-in-action.aspx



50 Ways to Help the Planet

50 Ways to Help the Planet

Posted using ShareThis

Biblioteca de Livros Digitais
















Esta é uma iniciativa muito boa para a população mais pequena. Parabéns a quem de direito!
Podem ler as histórias ou ouvi-las e, no final, comentar.

Podem aceder atrvés do link:
ou clicando na imagem.

Até breve!

New How-to Twine Video Tutorials


Introduction to Twine from Twine Official on Vimeo.

Blogues em RVCC (B3)








Mais exercícios de escrita colaborativa feita com um grupo de RVCC.

Manifesta que mesmo com formações muito pequenas é possível utilizar blogues que ajudam a demonstrar competências de escrita.

É de salientar que nestes grupos a parte da publicidade tem sido muito criativa.


Link:http://cnovizela1619.blogspot.com/



Estação Vizela









No âmbito de um trabalho sobre Comunicação, foi efectuada uma entrevista a uma profissional da rádio (jornalista), tendo o seu guião sido preparado nas aulas de CLC e posteriormente passado para MP3 e agregado ao blogue para posterior audição.

Este blogue incorpora também um inquérito online, facto que tem motivado uma maior interacção. Os dados serão posteriormente tratados com a ajuda dos formadores de STC.


Link: http://estacaovizela.blogspot.com/2008/10/entrevista-com-jornalista-liliana-costa_22.html


Dou-te os meus olhos... negros!!!



Este trabalho baseado no filme "Te doy mis ojos" (Dou-te os meus Olhos) de Icíar Bollaín (Espanha, 2003) foi efectuado por uma turma EFA B3, que pretendia, à maneira de Gil Vicente, rir dos próprios defeitos. Neste sentido criou um guião, num exercício de escrita colaborativa que contou com a ajuda do e-mail e do Google Docs, bem como da visualização do Auto da Índia, também, incorporado no blogue da turma.

Ver aqui.

e-Learning day 08





O CNO da Escola Secundária de Caldas de Vizela foi convidado a partilhar a sua experiência de utilização de ferramentas WEB 2.0 na Educação e Formação de Adultos.

Neste sentido, partindo da intenção primordial de desenvolver e demonstrar competências TIC rapidamente nos apercebemos que se conseguiam potenciar as competências de outras áreas (MV, CE, LC, STC, CLC), para além da reflexão e responsabilidade de publicar material.

Dos vários suportes utilizados (e-mail, rss, redes sociais...) foi o blogue que melhor respondeu às necessidades mais imediatas pois é de fácil utilizaçãp, agrega elementos multimédia, é gratuito. Para além disto tem uma organização que se aproxima do portefólio, podendo ser cronológica ou temática.
A interacção que permite bem como a facilidade e riqueza comunicativa são outros argumentos a ter em conta.
Mas é a oportunidade de ser autor e a responsabilidade que isso gera juntamente com a criação de um espaço de interesses e o sentimento de pertencer a um grupo que mais significado tem, como afirma o professor Jarbas Barato.

Clique na imagem para ver o Blogue do evento.

ICT 2008 event




The next ten years will see major transformations in the technological, industrial and business landscapes surrounding information and communication technologies, or "ICT". ICT 2008 will set the agenda for ICT research and innovation in Europe during this crucial decade.

The event will host leading visionaries from academia and industry and will address topics as diverse as Europe's role in shaping the future internet, ICT's contribution to advancing the sustainability agenda and alternative research paths for future ICT components and systems.


Mais informação aqui:

CaldasMoodle'08






Parabéns pelo segundo evento!

Para ver, clique em: Um painel a rever...

Interessante...




Clique na imagem.

WIZiQ

Public sessions are live web seminars by expert teachers on a variety of educational topics. Synchronous interaction with the teacher in live online discussions on WiZiQ can be very useful for learning; the recordings are always available for review as an asynchronous learning option.
***
Esta ferramenta parece ser interessante, especialmente pelo facto de permitir a sua utilização nas plataformas Moodle. Permite, ainda, gravar sessões para posterior utilização e tem questionário pré-formatados...
Está cá para testar e, se for eficaz, poderá significar uma forma interessante de rentabilizar as plataformas de EaD existentes nas escolas.
Digam de vossa justiça!
Mais informação em: http://www.wiziq.com/

Making the Semantic Web Accessible to the Casual User

http://www.youtube.com/watch?v=ZM5zGJl9w9c

Escolas e empresas devem adaptar-se à Geração Y

01-07-2008 00:00:00
As salas de aulas e as empresas têm de ajustar as suas formas de
funcionamento às características da chamada Geração Y, que corresponde
aos indivíduos nascidos entre a década de oitenta e o ano 2000.
Passam a grande maioria do seu tempo ligados à Internet, e estão
habituados a funcionar com diversos dispositivos electrónicos
simultaneamente. Estas características reflectem-se na forma como
aprendem e como vão trabalhar no futuro, o que significa que a
educação e as empresas devem adaptar a sua forma de funcionar a esta
geração, segundo o estudo "Technologies to reach the thum generation"
da Basex, uma empresa de consultadoria. A Geração Y, ou seja os jovens
de hoje em dia, vivem constantemente em contacto com a tecnologia,
conseguindo por isso aceder a informação de forma muito mais rápida do
que as gerações anteriores. As salas de aula devem, como tal, alterar
o seu cariz de local de acesso a informação por excelência, caso
contrário não conseguirão capitalizar as potencialidades dos jovens,
nem endereçar as suas necessidades, segundo o estudo.
O estudo da consultora considera que as salas de aula devem, o quanto
antes, estar equipadas com ferramentas e sistemas tecnológicos, que
possam ser redes de armazenamento e consulta interactiva de informação
tratada. O modelo de funcionamento das aulas deverá assim ser baseado
em dispositivos que os alunos dominam e nos quais confiam,
permitindo-lhes ter um papel mais activo no seu processo de
aprendizagem.
O mesmo deve acontecer às empresas. Dentro de três ou cinco anos, a
Geração Y vai entrar no mercado de trabalho e vai exigir uma forma de
funcionar mais aberta, baseada na constante conexão e na
interactividade, considerou Jonathan Spira, CEO da Basex.
"As empresas precisam de se educar para retirar todo o partido das
potencialidades da Geração Y quando esta chegar ao mercado de
trabalho. Esse processo passa pela formação dos seus funcionários no
que diz respeito à utilização correcta da tecnologia e às questões de
segurança", disse Spira.

Twine

Twine is a new service that helps you organize, share and discover information around your interests, with networks of like-minded people. You can use Twine individually, with friends, or with groups, teams and communities.


Powered by semantic understanding, Twine automatically organizes information, learns about interests and makes recommendations. The more you use Twine, the better it gets to know you and the more useful it becomes.

in http://www.twine.com/tour/overview

The Semantic Web

As Tim Berners-Lee and others have described it, the Semantic Web creates a web of data that allows computers to find, extract, share, re-use information, and potentially even reason with it. Semantic content can be embedded in web pages, published from databases, and gathered into online repositories. Most important, semantic data itself contains “meta-information” so that other services are able to make sense of it. For example, the Semantic Web uses markup not only to indicate how something should be rendered, but also to express content (e.g. the authorship, title, and date of an article).

The Semantic Web is the next step in the evolution of the Internet.

in http://www.twine.com/tour/semantic

UAb: EDEN 2008

A Universidade Aberta (UAb) organiza a conferência anual da EDEN (uma das maiores redes mundiais de educação a distância e e-learning, European Distance and E-Learning Network) nos próximos dias 11 a 14 de Junho.

Intitulada “New Learning Cultures. How do we learn? Where do we learn?”, a conferência apresentará os seguintes temas:

E-learning, literacia digital e e-inclusion;
Rompendo com as barreiras sectoriais;
Contextualização cultural, adaptação às TIC e e-learning;
Padrões, avaliação e benchmarking;
Bibliotecas abertas para um mundo mais acessível;
E-learning, e-working e e-living;
Aprendizagem, e-governo e cidadania;
Estilos de aprendizagem, identidades e aprendizagem ao longo da vida;
Pedagogia digital e factores de sucesso no ambiente de aprendizagem intercultural.

As inscrições online para a Conferência terminam no dia 4 de Junho.
Para saber informações mais pormenorizadas, aceda ao site do evento, em http://www.eden-online.org/eden.php.


TIC e LC



Hoje partilho mais um exemplo que creio ter sido importante para os formandos que acompanho na Educação e Formação de Adultos: realizámos uma curtíssima metragem realcionada com o tema que estavam a trabalhar, a Violência Doméstica.
O título é "Dou-te os meus olhos... negros!" e, em tom humorístico, pretende chamar a atenção para alguns aspectos muito comuns na nossa cultura, mas sem perder o respeito que este drama nos desperta.
O guião surgiu de forma colaborativa, mas em diferentes grupos que posteriormente compilaram as suas ideias num documento de partilha do Google Docs e ajustaram a versão final. Este trabalho foi muito rico, quer em termos de mobilização de competências de Linguagem e Comunicação, quer em relação às competências de TIC, quer em termos de partilha de trabalho e ideias.
Concluído o guião começou a surgir o filme, entre cortes, caracterização, takes, cenário, adereços, montagem e edição... só possível com a colaboração de todos.

Novos desafios

Nestes slides destaco a essencialmente o conceito de Ensino a Distância 3ª Geração, numa concepção mais dinâmica, com mais recursos web e, por isso, mais diversificada.
Este facto exige, porém, uma nova postura dos responsáveis pela formação que, apesar de ser menos instrutiva (no sentido mais tradicional), não é mais fácil de executar, pois obriga a manipular conceitos tecnológicos, que evoluem constantemente, e a gerir uma quantidade de informação considerável.

É Hora!

Este clip, publicado por Vitorino Seixas no Blog da Formação, não podia vir mais a propósito, está na hora de reflectir sobre a nossa prática pedagógica e, modificando as nossas práticas e metodologias, passar a actuar em conformidade com as exigências da Sociedade de Informação e Comunicação (SIC).

TIC em Linguagem e Comunicação

Aproveitando a dica do Professor Jarbas, resolvi testar um exercício muito simples.

Os adultos do Grupo 19 de RVCC, no decorrer de uma sessão de formação complementar, foram desafiados a desenvolver uma pequena ideia no processador de texto dos seus PC's.
Alguns minutos depois, e para surpresa de todos, foram convidados a trocar de PC e a continuar o texto que encontravam no PC para onde se deslocavam. Após o espanto inicial, começaram a concentrar-se nas ideias que encontraram e a desenvolvê-las.
Alguns momentos depois, voltaram a trocar de lugares e retomaram as ideias encontradas.
No final todos os trabalhos foram guardados para se corrigirem e editarem no blogue do Grupo.
Os textos produzidos não foram muito grandes, pois o tempo também não foi muito, mas os adultos ficaram bastante satisfeitos com a actividade pelo desafio de criatividade, pela dinâmica e pela curiosodade que gerou.

2008-04-28_0147
Grupo 19 RVCC-CNOVizela em LC: momento de troca de PC.

Exemplo de um trabalho:

Aprender a aprender...

Como diz o ditado “sempre a aprender e morre-se sem saber”.

Como exemplo, lembro-me de na minha infância não ter brinquedos com facilidade, o que me levava a construir os meus próprios brinquedos.

Uma altura construi um carro com várias peças de brinquedos danificados.

No princípio não gostava muito da ideia de não ter brinquedos, mas como não tinha nada com que brincar, acabei por ter eu que os construir.

Hoje em dia os nossos filhos não necessitam de usar esta criatividade nos seus brinquedos mas nas novas tecnologias.
É preciso usar a criatividade e a imaginação e mesmo sabendo que o nosso professor nunca nos pode dar vinte porque nós nunca sabemos tudo.
Grupo 19

The machine is Us/ing US

Hoje tropecei num vídeo muito interessante que abre perspectivas de reflexão importantes sobre o impacto da tecnologia da Internet nas nossas vidas. O autor, Michael Wesh, desenvolve um projecto de "Etnografia Digital" - explorando o impacto da tecnologia digital na interacção humana e a interacção humana na tecnologia digital.

Tecnologia sem educação

Tomei a liberdade de copiar o post de Vitorino Seixas no Blog da Formação para reflexão:

"Na entrevista “El poder tiene miedo de Internet”, Manuel Castells afirma que o mais importante não é o acesso à Internet mas sim o acesso ao trabalho e à carreira profissional.

P. Si Internet es tan determinante de la vida social y económica, ¿su acceso puede ser el principal factor de exclusión?

R. No, el más importante seguirá siendo el acceso al trabajo y a la carrera profesional, y antes el nivel educativo, porque, sin educación, la tecnología no sirve para nada. En España, la llamada brecha digital es por cuestión de edad. Los datos están muy claros: entre los mayores de 55 años, sólo el 9% son usuarios de Internet, pero entre los menores de 25 años, son el 90%.

P. ¿Es, pues, sólo una cuestión de tiempo?

R. Cuando mi generación haya desaparecido, no habrá brecha digital en el acceso. Ahora bien, en la sociedad de Internet, lo complicado no es saber navegar, sino saber dónde ir, dónde buscar lo que se quiere encontrar y qué hacer con lo que se encuentra. Y esto requiere educación. En realidad, Internet amplifica la más vieja brecha social de la historia, que es el nivel de educación. Que un 55% de los adultos no haya completado en España la educación secundaria, ésa es la verdadera brecha digital."

Temos, como educadores, de assumir duas nobres tarefas:

A primeira relaciona-se com a educação de adultos, cativando e motivando os adultos para diminuir o fosso que existe com as gerações mais novas;

A segunda é educar as gerações mais novas para que saibam o que fazer com a tecnologia (e connosco).

Plano Tecnológico de Educação

Jorge Lima diz, no Correio da Educação:

"A modernização tecnológica da escola é um grande desafio para Portugal, que exige, em primeiro lugar, a adopção de uma estratégia nacional com linhas orientadoras, com metas e objectivos muito precisos, em segundo lugar, um plano de acção que defina com clareza as medidas e os meios necessários à prossecução daqueles objectivos, e, em terceiro lugar, uma intervenção articulada e coordenada de todos os agentes envolvidos na execução e acompanhamento destas medidas."

Destaco alguns objectivos (Conteúdo) do Plano Tecnológico de Educação citados no artigo:
"- Promover a produção, a distribuição e a utilização de conteúdos informáticos nos métodos de ensino e aprendizagem (p. ex., exercícios, manuais escolares, sebenta electrónica, etc.).
- Encorajar o desenvolvimento do portefólio digital de alunos.
- Complementar o ensino tradicional e promover novas práticas de ensino.
- Minimizar a info-exclusão, disponibilizando conteúdos e ferramentas que tornem viável o ensino à distância.
- Desenvolver a articulação entre a escola e o mercado de trabalho (p. ex., integrando funcionalidades como bolsas de emprego)."

Claro que ao nível da Educação e Formação de Adultos reveste-se de maior importância todo o trabalho de desenvolvimentos de competências de utilização das TIC.

Deste modo destaco, ainda, alguns objectivos de Formação do mesmo Plano:
"- Promover a utilização das TIC nos processos de ensino e aprendizagem e na gestão administrativa da escola.
(...)
- Promover a utilização pedagógica das TIC.
(...)
- Diminuir assimetrias entre escolas, promovendo o acesso a TIC de agentes e escolas com menos recursos financeiros."

E termina:
"Os meios estão lançados, as naus aparelhadas, só precisamos de sair da calmaria dos nossos portos seguros para enfrentar todas as incertezas, passando bem ao largo dos baixios das nossas reais e compreensíveis resistências à mudança…"

Obrigado Jorge Lima!

LVila

(Link para texto integral)